sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O que faz valer a pena

Tantos momentos existem em um só segundo
Do tempo que ficamos sós a contemplar o mundo
Ouvindo a música sutil da natureza ao fundo
Livres como dois apaixonados vagabundos

Livres de tudo que escraviza a mente
Livres de tudo que escraviza o coração
Considerando o amor, única coisa urgente
Dando vazão ao que conduz à evolução

Tantos momentos que só ficam na memória
Do tempo que escrevemos nossa própria história
Que sempre alternará fracassos e glórias
Para que valha a pena essa vida transitória

E no final que chegue enfim nossa libertação
E mais leves possamos seguir em frente
Que tenha fim de uma vez a nossa escravidão
E recomeçar seja possível novamente

Tantos momentos compõem nossa cena
Destino mutável que se e me transforma
E só o amor é o que faz valer a pena
O amor em suas variadas formas

sábado, 9 de janeiro de 2016

O homem mudança (the changing man)

Quando as coisas de repente se transformam
Repentinamente mudam sem aviso
Em um impulso independente de vontade
E a vida então exige o seu improviso

Quando a rotina e o conforto lhe abandonam
E tudo então se mostra fora de lugar
Os sinais de várias fontes se encontram
Alguma coisa a caminhada quer mostrar

E nem por isso se apavorar
E nem por isso lamentar
E se chorar que não demore
Para o sorriso voltar
E entenda que é preciso
Preferir mudar
Reinventar, reinventar, reinventar
Aprender constantemente a dança
Aceitar e abraçar a mudança

Quando cada vez se tem menos certezas
Quando tudo mostra que andamos para trás
E cada dia nos agrida um pouco mais essa tristeza
É a hora certa para teimar em ser feliz um pouco mais
Quando a vontade é de ficar calado
Diante de tudo que se vê, se ouve e se lê
De tão doído, de tão sofrido, de tão chocado
Que ninguém vê ou finge que não vê

E nem por isso se apavorar
E nem por isso lamentar
E se chorar que não demore
Para o sorriso voltar
E entenda que é preciso
Preferir mudar
Reinventar, reinventar, reinventar
Aprender constantemente a dança
Aceitar e abraçar a mudança

Só rema contra a maré
Quando a intenção for ser feliz
Do contrário é perda de tempo
É desperdício de fé.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A felicidade do presente

uma luz que vem das curvas de um sorriso
uma paz que só existe na alegria
que eu queria poder congelar
para sempre poder contemplar esse instante

é tão bonito ver alguém feliz assim
a boa vibração chega tão perto de mim
sinto vontade de também compartilhar
de fazer parte mesmo estando tão distante

a mente leve liberta o coração
que livre faz a mente viajar
a gente fica leve quando está feliz
mesmo que tais momentos sejam por um triz
ainda tento infantilmente não pensar
em passado ou futuro, não me preocupar
apreciando o presente enquanto eu estiver
a caminhar

imagens passam tão velozes por aí
retratos de momentos que não voltam mais
é preciso estar atento para perceber
é preciso desapego para aprender

sentimento, pensamentos, momentos
coisas que fazem a vida valer a pena
energias que nos envolvem e nos conduzem
que sejam de energia positiva plena

a mente leve liberta o coração
que livre faz a mente viajar
a gente fica leve quando está feliz
mesmo que tais momentos sejam por um triz
ainda tento infantilmente não pensar
em passado ou futuro, não me preocupar
apreciando o presente enquanto eu estiver

a caminhar

terça-feira, 10 de novembro de 2015

REDE

Unidos,
Linkados,
Como dois nós
Conectados,
A tantas coisas,
Tantos lugares
Tantos sorrisos,
Tantos olhares

Estamos juntos,
Colados,
Como um só
De dois pedaços,
Duas metades
Complementares,
E um destino
Compartilhado

A vontade faz que eu me conecte a você
Para viver em alta vibração
É o amor que faz essa conexão
E se forma então
A nossa rede

Já estivemos
Separados
Distantes
E solitários
Mas uma força
Invisível
Nos levou
A convergir

E então o link
Se fez
E nós estamos
Aqui
Estamos juntos,
Colados,
Como um só
De dois pedaços,

A vontade faz que eu me conecte a você
Para viver em alta vibração
É o amor que faz essa conexão
E se forma então
A nossa rede

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

palavras

palavras não bastam
se não há olhar
e também não acalmam
se não há intenção
palavras não explicam
se não há sintonia
palavras não calam
se não há paz

palavras são só palavras
letras, sons e gramática
vazias de tudo e cheias de nada
se não há amor, melhor calar

palavras não animam
se não há vontade
palavras não dizem
o que é preciso ver
palavras sozinhas
muito pouco podem
palavras não resolvem
sem um algo mais

palavras são só palavras
letras, sons e gramática
vazias de tudo e cheias de nada

se não há amor, melhor calar

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Sabedoria Popular

(Zumbira)

quem não é visto
não é lembrado
não é bem quisto
não é citado

cai no abismo
do ignorado
do invisível
do não notado

será preciso estar nos olhos de alguém para existir?
ser processado por cinco sentidos para estar ali?
se não houver imagem, cheiro, contato, gosto e som
o que sobra de mim então? o que sobra de mim então?

e tudo aquilo que se sente, que se sabe e não se vê
aquela certeza de que algo existe e não há meios de provar
aquilo tudo que ignoramos por desconhecer?

se olhos não vêem
o coração não sente
será? não sei
acho que sente

as vezes sentir
não depende da gente
ou se depende
não temos controle

será preciso estar no coração de alguém para existir
ser processado pelo sentimento para estar ali?
se não houver lembrança, presença, carinho, esperança
o que sobra de mim então? o que sobra de mim então?

e tudo aquilo que se sente, que se sabe e não se vê
aquela certeza de que algo existe e não há meios de provar

aquilo tudo que ignoramos por desconhecer?

Yasmin

(Zumbira)

ela veio em setembro sim
e fez muito para estar aqui
veio com a primavera sim
e o seu nome é o de uma flor
uma alegria que há em mim
uma energia toda em si
um sorriso doce assim
que só faz crescer o meu amor
um amor que sei que é sem fim
um amor que já não cabe em mim
que eu possa te cuidar, te ver crescer
e te ajudar o minha flor yasmin

uma linda setembrina sim
um presente que ganhei do céu
flor que ilumina o meu jardim
meu doce, minha cor, meu amor
pra que eu pense além de mim
e aprenda a te esperar
praticando a ciência da paz
pois dói muito te esperar
aprendendo o não é o sim
todo o bem que há em mim
vou pra sempre te cuidar

e te ajudar o minha flor yasmin

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Artista

(Zumbira)

Ele tenta, inventa, enfrenta
Precisa transformar, precisa mudar
Então dança, pinta, pensa, desenha
Para sublimar, para se libertar
E são versos, poemas, letras
Coreografias de fatos reais
Quadros, filmes, fotografias,
Que aliviam todos os ais
Então canta que os males espanta
E se expressa em forma de canção
Porque a gente facilmente pira
Se der muita atenção pra razão

Então sinta e deixe sentir
Então chore, chore de rir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Porque a vida é breve
Porque é humano
Então siga é preciso seguir
E aprenda a lição que surgir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Ficar mais alegre
O cotidiano

E balança como uma criança
Brincando no jardim da infância
Cria, planeja, projeta, acerta
E erra querendo acertar
E disso surgem obras primas
E outras coisas sem explicação
Que são as expressões de um sentimento
Que por um momento surge como solução
É uma simples contribuição
Um ponto de vista, uma opinião
Um passo a frente, valente
Um semente plantada em algum coração

Então sinta e deixe sentir
Então chore, chore de rir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Porque a vida é breve
Porque é humano
Então siga é preciso seguir
E aprenda a lição que surgir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Ficar mais alegre
O cotidiano



sexta-feira, 6 de junho de 2014

Rir pra não chorar

Rir pra não chorar
(Zumbira)

rir pra não chorar tu quer dizer?
rir de nervoso só se for
porque a coisa aqui ta preta
a coisa aqui tá densa
ta faltando amor

então eu vou sorrir
eu vou cantar eu vou me distrair
porque tem muita treta
muita coisa incerta
muito cinza e pouca cor

eu vou me recolher
e me conectar com algo maior
com intenção melhor
quem sabe até calar
pra poder escutar

vou sair por aí
caminhar e tentar respirar
imaginando o mar
e a saudade que jaz dentro de mim

e vou sair por aí
vou cantar, vou sorrir
vou calar, vou partir
e também vou voltar

porque as vezes eu enxergo
e outras vezes não,
as vezes faço sem querer,
e outras vezes não,
ou se deixando levar
as vezes arrastado
as vezes obrigado
e outras vezes não...

vou sair por aí
caminhar e tentar respirar
imaginando o mar
e a saudade que jaz dentro de mim

e vou sair por aí
vou cantar, vou sorrir
vou calar, vou partir
e também vou voltar

rir pra não chorar tu quer dizer?
rir de nervoso só se for
porque a coisa aqui ta preta
a coisa aqui tá densa
ta faltando amor

quinta-feira, 13 de março de 2014

O Amor que fica

O Amor que fica
(Zumbira)

a saudade é o amor que fica
aquilo que fica depois da partida
igual para quem vai
igual para quem fica

o amor que fica quando o amor se vai
sensação de perda do que não é seu
um vazio repleto de tudo que sai
um vazio incerto que é somente meu

a saudade é o amor que fica
despertando a crença no que existe além
e não é qualquer língua que explica
no inglês pra isso nem palavra tem

o amor que fica quando o amor se vai
fica no coração, na mente na alma
como sente um filho, como sente um pai
infinita dor que só presença acalma

a saudade é o amor que fica
aquilo que fica depois da partida
igual para quem vai

igual para quem fica

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Mais Nada

Mais Nada
(Zumbira)

fazer mais leve as coisas pesadas
fazer sorrir as caras fechadas
fazer dançar os corpos parados
cansados de não fazer nada

fazer menos sofrido o aprendizado
sonhar, se mover e ver realizado
sempre mais e sempre melhor
até que nada seja necessário

silenciar a boca de alegria
fazer bagunça, fazer folia
fazer da vida uma peripécia
até romper com a inércia

fazer barulho nos silêncios tristes
fazer mais justo, mais útil, mais simples
viver mais histórias, conhecer estradas
e depois de tudo não fazer mais nada

Ensolarado

Ensolarado
(Zumbira)

um dia ensolarado
caminho iluminado
em direção ao mar

um céu azul anil
nem calor, nem frio
para contemplar

as árvores floridas
as flores coloridas
as vidas tão vividas

e a gente a continuar
sonhando em conquistar
em divertir e libertar

são pequenas alegrias
dignas de poesia
que basta observar

nos olhos das pessoas
em qualquer coisa a toa
que permita emocionar

na criança que inicia
no menino, na guria
no ser e no estar

e a gente a continuar
sonhando em conquistar
em divertir e libertar

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

20 de novembro

20 de novembro
eu tenho a consciência negra
e a pele também
eu busco a consciência
e a pele
eu tento a ciência
a pé
eu penso

eu sinto
eu sou.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Aqui Dentro

Aqui Dentro
(Zumbira)

Uma porta aberta
Para milhões de ideias e pensamentos
Vontades, medos e sentimentos
Todos de dentro querendo sair
Quem sabe poder existir
Como palavra ou coisa concreta

Pareciam borbulhar
Encadeados todos querendo sair
Esperando um lugar para existir
Se transformar em verbo
Em onda sonora, aqui e agora
Profundo desabafar

Não quero mais querer
Eu não preciso ter
Eu só preciso ser
Um pouco menos para ser mais
Eu preciso dizer
É preciso viver e morrer
Para ver
Um pouco mais e além

E como alcançar a calma?
Se desfazer, desapegar?
Compreender que libertar
É o verdadeiro amar?
Que nada deve
Aprisionar a alma

E como dizer
Sem machucar ou ofender
Que cada um precisa ser
Do jeito que quiser
E como quiser
Ser

Não quero mais querer
Eu não preciso ter
Eu só preciso ser
Um pouco menos para ser mais
Eu preciso dizer
É preciso viver e morrer
Para ver
Um pouco mais e além

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tudo isso e muito mais

Tudo isso e muito mais
(Zumbira)

Pra que falar,
Se eu falo mais calado?
Se o meu jeito descuidado
Deixa óbvio quem sou?

Como dizer
Que te amo sem abraço?
Que o meu coração de aço
Endurece sem amor?

Olhos não têm voz, mas nos entregam.
Olhos não falam, mas revelam.
Mas só se entendem com outros olhos
E como entender tantos sinais?
Ouvidos se iludem com promessas
Mas todos os sentidos são canais
Os corpos se entendem com outros corpos
Mas é preciso tudo isso e muito mais

Pra que mostrar
Se é melhor ser descoberto
Por alguém interessado
Pelo que tenho por dentro

Como entender
O que deve ser sentido?
Lido, ouvido ou escrito.
Compreendido 100%?

Tantos sentidos pra chegar no sentimento
Tantos caminhos, desvios e sensações
E às vezes nada disso gera entendimento
E então se perde a paz
Mas existem também os reencontros
É disso que são feitos os caminhos
E para caminhar me sinto pronto
Mas é preciso tudo isso e muito mais...