segunda-feira, 15 de setembro de 2014

palavras

palavras não bastam
se não há olhar
e também não acalmam
se não há intenção
palavras não explicam
se não há sintonia
palavras não calam
se não há paz

palavras são só palavras
letras, sons e gramática
vazias de tudo e cheias de nada
se não há amor, melhor calar

palavras não animam
se não há vontade
palavras não dizem
o que é preciso ver
palavras sozinhas
muito pouco podem
palavras não resolvem
sem um algo mais

palavras são só palavras
letras, sons e gramática
vazias de tudo e cheias de nada

se não há amor, melhor calar

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Sabedoria Popular

(Zumbira)

quem não é visto
não é lembrado
não é bem quisto
não é citado

cai no abismo
do ignorado
do invisível
do não notado

será preciso estar nos olhos de alguém para existir?
ser processado por cinco sentidos para estar ali?
se não houver imagem, cheiro, contato, gosto e som
o que sobra de mim então? o que sobra de mim então?

e tudo aquilo que se sente, que se sabe e não se vê
aquela certeza de que algo existe e não há meios de provar
aquilo tudo que ignoramos por desconhecer?

se olhos não vêem
o coração não sente
será? não sei
acho que sente

as vezes sentir
não depende da gente
ou se depende
não temos controle

será preciso estar no coração de alguém para existir
ser processado pelo sentimento para estar ali?
se não houver lembrança, presença, carinho, esperança
o que sobra de mim então? o que sobra de mim então?

e tudo aquilo que se sente, que se sabe e não se vê
aquela certeza de que algo existe e não há meios de provar

aquilo tudo que ignoramos por desconhecer?

Yasmin

(Zumbira)

ela veio em setembro sim
e fez muito para estar aqui
veio com a primavera sim
e o seu nome é o de uma flor
uma alegria que há em mim
uma energia toda em si
um sorriso doce assim
que só faz crescer o meu amor
um amor que sei que é sem fim
um amor que já não cabe em mim
que eu possa te cuidar, te ver crescer
e te ajudar o minha flor yasmin

uma linda setembrina sim
um presente que ganhei do céu
flor que ilumina o meu jardim
meu doce, minha cor, meu amor
pra que eu pense além de mim
e aprenda a te esperar
praticando a ciência da paz
pois dói muito te esperar
aprendendo o não é o sim
todo o bem que há em mim
vou pra sempre te cuidar

e te ajudar o minha flor yasmin

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Artista

(Zumbira)

Ele tenta, inventa, enfrenta
Precisa transformar, precisa mudar
Então dança, pinta, pensa, desenha
Para sublimar, para se libertar
E são versos, poemas, letras
Coreografias de fatos reais
Quadros, filmes, fotografias,
Que aliviam todos os ais
Então canta que os males espanta
E se expressa em forma de canção
Porque a gente facilmente pira
Se der muita atenção pra razão

Então sinta e deixe sentir
Então chore, chore de rir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Porque a vida é breve
Porque é humano
Então siga é preciso seguir
E aprenda a lição que surgir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Ficar mais alegre
O cotidiano

E balança como uma criança
Brincando no jardim da infância
Cria, planeja, projeta, acerta
E erra querendo acertar
E disso surgem obras primas
E outras coisas sem explicação
Que são as expressões de um sentimento
Que por um momento surge como solução
É uma simples contribuição
Um ponto de vista, uma opinião
Um passo a frente, valente
Um semente plantada em algum coração

Então sinta e deixe sentir
Então chore, chore de rir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Porque a vida é breve
Porque é humano
Então siga é preciso seguir
E aprenda a lição que surgir
Tudo isso é pra ficar mais leve
Ficar mais alegre
O cotidiano



sexta-feira, 6 de junho de 2014

Rir pra não chorar

Rir pra não chorar
(Zumbira)

rir pra não chorar tu quer dizer?
rir de nervoso só se for
porque a coisa aqui ta preta
a coisa aqui tá densa
ta faltando amor

então eu vou sorrir
eu vou cantar eu vou me distrair
porque tem muita treta
muita coisa incerta
muito cinza e pouca cor

eu vou me recolher
e me conectar com algo maior
com intenção melhor
quem sabe até calar
pra poder escutar

vou sair por aí
caminhar e tentar respirar
imaginando o mar
e a saudade que jaz dentro de mim

e vou sair por aí
vou cantar, vou sorrir
vou calar, vou partir
e também vou voltar

porque as vezes eu enxergo
e outras vezes não,
as vezes faço sem querer,
e outras vezes não,
ou se deixando levar
as vezes arrastado
as vezes obrigado
e outras vezes não...

vou sair por aí
caminhar e tentar respirar
imaginando o mar
e a saudade que jaz dentro de mim

e vou sair por aí
vou cantar, vou sorrir
vou calar, vou partir
e também vou voltar

rir pra não chorar tu quer dizer?
rir de nervoso só se for
porque a coisa aqui ta preta
a coisa aqui tá densa
ta faltando amor

quinta-feira, 13 de março de 2014

O Amor que fica

O Amor que fica
(Zumbira)

a saudade é o amor que fica
aquilo que fica depois da partida
igual para quem vai
igual para quem fica

o amor que fica quando o amor se vai
sensação de perda do que não é seu
um vazio repleto de tudo que sai
um vazio incerto que é somente meu

a saudade é o amor que fica
despertando a crença no que existe além
e não é qualquer língua que explica
no inglês pra isso nem palavra tem

o amor que fica quando o amor se vai
fica no coração, na mente na alma
como sente um filho, como sente um pai
infinita dor que só presença acalma

a saudade é o amor que fica
aquilo que fica depois da partida
igual para quem vai

igual para quem fica